A formação é promovida pela Biblioteca Nacional e insere-se no âmbito do projeto intitulado “Dinamização de Bibliotecas Escolares”, financiado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua Portuguesa, em parceria com o Ministério da Educação e o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

Com a duração de uma semana, a ação de capacitação decorre na Biblioteca Nacional, na cidade da Praia, e junta 27 professores da ilha de Santiago, responsáveis pela implementação das bibliotecas escolares nas 9 escolas selecionadas para integrar este projeto. Visa a criação a médio -longo prazo de uma rede de bibliotecas escolares. Para a curadora da Biblioteca Nacional, Fátima Fernandes, o desafio de instalar esta rede é comum a todos.

A formação está a ministrada pelo especialista da Rede de Bibliotecas Escolares de Portugal, João Afonso, que afirmou ser este apenas um primeiro passo em direção à criação da rede de bibliotecas escolares.

A fim de se inteirar da realidade das escolas nacionais, na sexta-feira, dia 11 de maio, João Afonso visitou 3 das 9 escolas selecionadas para acolher este projeto. Sobre o balanço destas visitas, João Afonso fala na escassez de recursos das escolas do interior, quando comparadas com as da capital. 

Este projeto visa ainda criar e cimentar uma cultura de hábitos de leitura em ambiente escolar desde a infância, promotor da literacia, do conhecimento e da informação, da melhoria da aprendizagem dos alunos e do seu entendimento no mundo global.

Assim, “Procedimentos biblioteconómicos – circuito documental: registo, catalogação, indexação e cotação”, “Política de gestão e desenvolvimento da coleção”, “Objetivos da escola e o papel da biblioteca no contexto da sociedade da informação”, “A metodologia de pesquisa da informação na formação de leitores autónomos e críticos”, são alguns dos temas que vão ser ministrados nessa formação.

Para além dos professores, técnicos do Ministério da Educação e da Biblioteca Nacional também participam nesta formação.