A constatação foi feita por Martiza Rosabal, em declarações à imprensa, à margem do encerramento do I Fórum Nacional de Educação – FNE, que terminou na sexta-feira, 10 de novembro, na cidade da Praia.
A governante garantiu que o Fórum vai continuar aberto online e presencial para a recolha de subsídios e opiniões, tendo sublinhado que no evento de três dias ficou claro para todos que as práticas educativas têm de mudar.
“Todos estão de acordo que o mundo está a mudar e a educação também precisa mudar, do topo à base e vice-versa e em todas as áreas, desde as áreas de gestão e sobretudo as práticas nas salas de aula”, assegurou.

Maritza Rosabal afirmou ainda que ficou igualmente evidente que as Tecnologias de Informação e Comunicação são um recurso inestimável a aproveitar.
Para a Ministra da Educação, os objetivos foram alcançados e agora há uma imensa quantidade de recomendações e sugestões que podem ser consultadas online e que vão nortear as diferentes intervenções.
“Nomeadamente a questão de termos que criar um sistema de avaliação das aprendizagens, avaliação do próprio sistema baseada em resultados, a possibilidade de que o ensino superior seja alargado às diferentes ilhas, com recurso às Tecnologias de Informação e Comunicação e todas as implicações que isso tem em termos da gestão do sistema”, sublinhou.

Maritza Rosabal mencionou ainda a questão das Necessidades Educativas Especiais, onde se pediu soluções rápidas, tendo em conta que não se pode deixar ninguém para trás.

De salientar que o ato de encerramento daquele que foi o I Fórum Nacional de Educação foi presidido pelo Ministro dos Assuntos Parlamentares e do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire.

DCC