• Santo Antão: Governo analisa condições de operacionalização do ensino superior na ilha – primeiro-ministro

    Santo Antão: Governo analisa condições de operacionalização do...

  • O que é a universalização do acesso à educação pré-escolar no sistema educativo formal?

    O que é a universalização do acesso à educação pré-escolar no...

  • Conselho do Ministério da Educação serviu para se criar condições para iniciar  ano letivo 2017/2018 normalmente

    Conselho do Ministério da Educação serviu para se criar condições...

  • Ministério da Educação organiza escolas em agrupamentos educativos

    Ministério da Educação organiza escolas em agrupamentos educativos

  • Grupo Caetano Retail apoia nove jovens das Aldeias SOS no acesso ao ensino superior

    Grupo Caetano Retail apoia nove jovens das Aldeias SOS no acesso ao...

Programas em Destaque

AGO.
18

18-08-17 06:00 - 06:59

AGO.
18

18-08-17 07:00 - 07:20

AGO.
18

18-08-17 07:30 - 07:35

AGO.
18

18-08-17 07:55 - 07:59

AGO.
18

18-08-17 08:00 - 10:59

AGO.
18

18-08-17 12:00 - 12:05

Ao contrário do que se acreditava, o estado de vulnerabilidade experimentado por quem admite um erro, pode gerar uma queda na autoestima e diminuir a sensação de felicidade que deveria acompanhar o pedido de desculpas.

 

De acordo com o estudo publicado na revista "European Journal of Social Psychology" a ideia de que assumir a culpa por um erro faz a pessoa mais feliz é algo completamente errado. Em geral, essas pessoas sentem-se mais vulneráveis e prefeririam não ter que assumir responsabilidade sobre o ocorrido.

A maioria dos pais não está gostando  dessa história. Quem tem filhos sabe que um dos argumentos-chave para extrair a verdade de uma criança é assegurar que ela irá sentir-se muito melhor após a ‘confissão’.

Tyler G. Okimoto, um dos responsáveis por esse estudo, acredita que a educação das crianças deve partir de outro princípio, e não da ideia egoísta de que pedir desculpas é melhor.

Mesmo que não pedir desculpas faça com que as pessoas se sintam melhores é importante ensinar que o ato de desulpar-se melhora as relações interpessoais e estabelece laços mais resistentes de afetividade entre os envolvidos.

DB.